Quase dois anos e regulamentação da atividade de carroceiros em GV ainda se arrasta

Em 2017 Governador Valadares foi tomada por uma estranha invasão de cavalos nas ruas. Nas redes sociais os relatos e fotos eram de até quatro animais andando em áreas centrais da cidade e até pastando no gramado da prefeitura.

Ainda não consegui entender, pois, se o cavalo estava nas ruas, onde estava o carroceiro, já que este trabalhador precisa de seu animal para o dia a dia de trabalho?
Foi então que o Vereador Alessandro Ferraz e Betinho Detetive, criaram e apresentaram um projeto de lei que foi votado pela Câmara e sancionado pelo prefeito André Merlo, virando lei, em agosto de 2017.

A prefeitura contratou um veterinário e uma empresa para fazer o recolhimento destes animais nas ruas, um curral foi adequado para abrigar cavalos e a prefeitura promoveu a microchipagem destes animais. A previsão de custos operacionais deste serviço para o município naquela época era de R$189.600 por ano, ou R$15.800 ao mês.

Desde então os cavalos sumiram das ruas, deixando duas opções: Ou o serviço está funcionando como poucas coisas nesta cidade, ou os carroceiros estão tendo mais o que fazer para não deixá-los soltos em vias públicas.

No próximo mês este serviço completa dois anos, mas ainda temos carroças circulando em nossas ruas sem o emplacamento, menores ainda são vistos conduzindo estes veículos, e um curso de capacitação profissional para os carroceiros ainda é uma das promessas desde a implantação desta lei. Com foto do portal Tagarela Pet.

Em contato com um dos autores da lei, percebe-se que esta legislatura não será suficiente para que tudo se conclua.

0 Reviews