Pesquisa eleitoral realizada em GV por empresa de Pedro Leopoldo é Fake News

Fotomontagem Jornal Capital dos Vales

Pesquisa eleitoral realizada em GV por empresa de Pedro Leopoldo é Fake News

A Justiça deferiu liminarmente a suspensão de pesquisa eleitoral realizada em Governador Valadares pela empresa Promídia Pesquisas. O juiz eleitoral Famblo Santos Costa acatou, no dia 18 de junho, em pedido feito pelo partido Podemos no município. A Promídia confirma ter sido notificada, e afirma que apresentará recurso.

Entre os dias 14 e 22 de maio, a Promídia entrevistou 820 eleitores valadarenses em diversos bairros e distritos do município, questionando a intenção de voto e de rejeição a 15 pré-candidatos. A pesquisa também perguntou aos eleitores se eles aprovam ou desaprovam a gestão de André Merlo (PSDB) à frente da Prefeitura.

Questionamentos

“É uma empresa que não é da região, não conhece ninguém. Os dados, a gente não acredita neles. Num momento em que a gente vê tantas ‘fake news’, a gente vê claramente que a pesquisa foi feita com o objetivo de denegrir a imagem do prefeito”, disse Sampaio.

Para o presidente do Podemos no município, a sondagem feita pela Promídia não pode ser considerada como uma pesquisa de credibilidade. “Quem encomendou essa pesquisa? Qual o objetivo dela? São muitos pontos que a gente questionou, e imagino que foram forjados muitos desses números, na minha opinião. Por isso nós questionamos”, declarou.

Veja o despacho judicial:

Despacho

A reportagem do Jornal Capital dos Vales tentou sem sucesso entrevistar o representante da Promidia em Belo Horizonte

Em viagem à BH, no último dia 02/06 ,o Jornalista ZéCarlos Souza, também pré-candidato a prefeito de Governador Valadares, esteve rapidamente com o diretor da Promídia Paulo Roberto Dias, em busca de informações sobre os métodos da pesquisa, já que seu nome e de outros pretendentes à disputa eleitoral no município, não figuraram na lista do questionários da pesquisa, e para saber também quem encomendou o trabalho.

A Promidia Pesquisas divulgou no site do TSE um valor fictício de R$ 7.500, 00, emitindo nota fiscal para si mesma. Souza questionou o valor por saber que pelo tamanho da cidade seria impossivel realizar uma tarefa profissional, por menos de 25.000,00 ou mais. Zé Carlos relata que foi ignorado pelo representante da empresa em frente à ALMG, onde foi marcado o encontro, apesar de Paulo Roberto ter sido convidado a encontrá-lo no restaurante de um hotel renomado em Belo Horizonte, onde nosso repórter estava hospedado.

Dias além de não informar quem o contratou para divulgar mentiras em GV, ainda atacou duramente Souza em um áudio que circula nos grupos de watsapp de política em GV.

Ouça o áudio:

Com informações também do DRD On Line